:Gaeco faz operação em busca de imagens desaparecidas contendo ameaças contra vereador na Câmara de Cornélio Procópio

Gaeco faz operação em busca de imagens desaparecidas contendo ameaças contra vereador na Câmara de Cornélio Procópio - TV Na Rua CornelioDigital Gaeco faz operação em busca de imagens desaparecidas contendo ameaças contra vereador na Câmara de Cornélio Procópio - TVNaRua Cornelio Digital - Notícias, Eventos e Entretenimento
Gaeco faz operação em busca de imagens desaparecidas contendo ameaças contra vereador na Câmara de Cornélio Procópio

Operação Harpócrates é uma referência ao "Deus do Silênico" - 

O fato aconteceu, quando o vereador Odair Matias (foto) desferiu criticas sobre o atraso nas obras do Frigorífico do Peixe, na presença do chefe de gabinete – irmão do prefeito – em sessão ordinária na Câmara municipal. Este partiu para cima do vereador, desferindo ofensas e ameaças diante das câmeras da empresa responsável pela transmissão das sessões.

Ocorre que, após o tumulto, a reunião foi interrompida e as imagens do ocorrido desapareceram misteriosamente dos arquivos da Câmara.

O desaparecimento das gravações é considerado prática de supressão de documento público e infringe no art. 305 do Código Penal Brasileiro.

A matéria está publicada no site oficial da MPPR, da seguinte forma - Em Cornélio Procópio, o Ministério Público do Paraná, por meio da 2ª Promotoria de Justiça da Comarca, cumpriu nesta terça-feira, 4 de junho, cinco mandados de busca e apreensão no âmbito da Operação Harpócrates, que apura a prática do crime de supressão de documento público da Câmara Municipal da cidade.

A ação foi executada com apoio do Núcleo Regional de Londrina do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Segundo a investigação, houve o desaparecimento da gravação de uma sessão do Poder Legislativo de Cornélio Procópio na qual, supostamente, haveria o registro do chefe de gabinete do Município proferindo ameaças e ofensas contra um dos vereadores. As audiências são públicas e costumam ser gravadas e transmitidas por meio das redes sociais da Câmara, além de ficarem registradas, à disposição da população. Ocorre que, em relação à sessão em que os fatos teriam ocorrido, o Poder Legislativo e a pessoa jurídica responsável pelo fornecimento do serviço de gravação e transmissão informaram que não localizaram a cópia da respectiva mídia.

Crime – Expedidas a pedido do MPPR pelo Juízo da Vara Criminal de Cornélio Procópio, as ordens judiciais foram cumpridas na sede da empresa prestadora do serviço e na residência de seu representante legal e também na sede do Poder Legislativo, na casa e no local de trabalho do chefe de gabinete municipal. A 2ª Promotoria apura eventual conluio entre integrantes da Câmara e/ou do Executivo do Município com a empresa prestadora de serviços para suprimir as aludidas gravações – tal situação pode configurar o ilícito penal de supressão de documento público, conforme descrito no art. 305 do Código Penal.

O nome da operação é uma referência ao deus do silêncio

Visualizações 50
Fonte: Odair Matias
Por: Redação
Data: 06/06/2024 12h13min

Hospital do Câncer de Londrina


CONTATO
[email protected]
[email protected]
(43)99920-1893



TV Na Rua / CornelioDigtal / BandDigital- 2006 - 2023